publicidade

Qualquer profissional sente-se extremamente recompensado quando proporciona ao seu paciente uma solução que até ali ainda não tinha tido acesso.

Uma das situações onde é mais evidente é quando alguém consegue ver bem sem óculos depois de vários anos limitado a essa circunstância. Tal é conseguido através da adaptação de Lentes de Contacto (LC).

São múltiplos os exemplos que conhecemos, e muitos mais os anónimos, que passam por nós não aparentando qualquer limitação quanto à visão, mas que trazem a sua correção consigo, muito bem guardada.

É natural que a proposta inicial que se apresente a alguém que pela primeira vez apresenta dificuldades na visão sejam os óculos. Hoje em dia, salvo algumas exceções, a correção começa muito cedo, em criança, porque felizmente é detetada precocemente, ou então, se mais velho, a graduação inicial tende a ser baixa. Num caso ou noutro a primeira solução são os óculos. Na primeira situação, porque se tratam de crianças, na segunda, porque é importante ter presente que os óculos são imprescindíveis.

Enquanto profissional desaconselho que alguém, por exemplo um jovem, a quem seja detetada uma miopia, inicie a sua correção através de LC sem adquirir os óculos. As LC devem funcionar sempre como complemento aos óculos, mesmo se usadas durante mais tempo que estes. Deve existir uma alternativa atualizada para momentos ou dias de descanso. A utilização de LC é exigente para os nossos olhos e queremos preservá-los para podermos usá-las durante vários anos.

A LC é uma correção intrusiva. É colocada sobre os nossos olhos e uma das consequências mais importantes é que divide a lágrima que os cobre ao meio. A adaptação deve avaliar que este processo ocorre da forma mais correta possível, que a lágrima que corre por baixo da lente o faz de forma fluída e que aquela que corre por cima da lente não evapora com facilidade.

Cabe ao profissional que faz a adaptação fazer essa avaliação e sugerir a melhor proposta, seja em materiais, período de utilização, e soluções de manutenção.

O profissional tem que avaliar se estão reunidas todas as condições para uma correta utilização das LC. Por um lado condições técnicas mas também condições subjetivas. A principal é Responsabilidade!

Relembrando que se trata de algo intrusivo, existem sintomas/sinais facilmente percebidos que não se podem pôr para trás das costas: vermelhidão, comichão, visão “baça”, são sintomas e sinais de que algo está menos bem. Nessas circunstâncias, devem retirar-se imediatamente as LC e procurar um profissional para se proceder à avaliação. Nunca mas nunca guardar as LC, esperar que passe, e voltar a colocá-las. Na maioria das vezes os problemas voltam ainda com mais intensidade.

Cuidados de higiene, respeito pelas horas de utilização são outros fatores fundamentais para uma utilização saudável das LC. A maioria dos problemas que se conhecem por utilização de LC é porque se “facilitou”. Não facilite, previna-se!

No período de praia levantam-se ainda outras questões: posso levar as LC para a praia? Posso ir ao mar com elas? É preciso saber colocar-nos na posição das pessoas quando fazem estas perguntas. Aqueles que vêm bem têm muita dificuldade de avaliar o que um míope a partir de 2 dioptrias vê. Tudo se torna desfocado, não se distinguem os contornos das caras das pessoas. É para ele muito vantajoso poder usar as LC na praia. Sente-se mais seguro, como os outros, pode desfrutar do que se passa à sua volta.

É verdade que existe outro tipo de riscos, por exemplo a exposição ao vento e areia e, mais importante, o contacto com a água do mar. Em relação ao primeiro conjunto de fatores, o aconselhável será a utilização de óculos de sol. Sabemos que particularmente as senhoras são sensíveis às marcas dos óculos, mas é importante a sua utilização, não só por causa do uso das LC mas também pela proteção contra os raios UV.

Em relação à água, efetivamente deve evitar-se o contacto com as LC. Fechar bem os olhos quando se mergulha e evitar brincadeiras com salpicos são regras fundamentais. Em contacto com as LC, a água do mar pode trazer problemas às Lentes e irremediavelmente aos olhos. Vermelhidão, sensação de corpo estranho ou arranhar são circunstâncias que devem levar a que se retirem as Lentes imediatamente. Por outro lado, a manutenção das LC (limpar e guardar para usar no dia seguinte) deve ser feita com cuidados redobrados para que a limpeza seja efetiva.

Muitas vezes aconselho aos meus clientes o uso de LC Diárias em período de férias, levando à utilização de uma Lente nova todos os dias, minimizando em muito os riscos. Em termos de saúde ocular indiscutivelmente que as LC Diárias são a melhor opção. Não existe necessidade de manutenção e qualquer problema com a lente desaparece ao final do dia.

Em conclusão, a utilização de LC tem que ser feita com forte sentido de responsabilidade, mais ainda na praia. Se olhamos para a bandeira para sabermos se podemos ir a banhos, também devemos saber avaliar as “bandeiras” dos nossos olhos e respeitar os seus sinais. Há mar e mar, há ir e voltar, mas a ver bem de preferência…

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.