publicidade

Os óculos são como um fato à medida, não há dois rostos iguais nem mesmo os nossos dois olhos são iguais e por isso tudo tem de ser medido e afinado pessoalmente, porque disso dependerá, em parte, a qualidade de vida. E por isso hoje vou falar-vos da afinação de óculos.

Para quem usa óculos graduados, este acessório é fundamental no dia-a-dia. Não só permite ter uma visão adequada, como também ser enquadrado no perfil do seu portador.

No momento da escolha de uns óculos preocupamo-nos com a cor, a dimensão, a forma, o peso, e esperamos que quem nos aconselha seja também sensível a estas caraterísticas.

Mas o profissional que aconselha, para além dos critérios já mencionados, deve ter a capacidade de orientar o cliente no sentido da melhor solução para a ametropia que este apresenta.

Esta circunstância é tão mais importante quanto mais complexa for a graduação. Quando as graduações são mais altas ou mais complexas é fundamental sensibilizar o cliente para dois aspetos. O primeiro é a Espessura das Lentes. Quem aconselha não se pode esquecer que o produto que está a propor não é o final. Nele serão colocadas umas Lentes que, se a sua espessura for muito significativa, pode alterar o aspeto inicial da armação. E ninguém quer uns óculos “fundo de garrafa”.

É verdade que hoje em dia a tecnologia evoluiu muito e já existem Lentes de Espessura bastante Reduzida. Mas existem limitações, para as quais os profissionais têm que estar conscientes e saber sensibilizar os seus clientes no momento da escolha.

O segundo aspeto é o tipo de correção. A distinção mais usual é entre a correção que dá para todas as distâncias e aquela que se divide entre longe e perto, para quando atingimos a Presbiopia, vulgarmente designada por vista cansada. Nesta situação, quando é proposta a solução de Lentes Progressivas, o Profissional tem que ter absolutamente presente as características das mesmas para adequar a uma solução, diga-se armação.

A forma como a armação assenta no rosto é um critério também fundamental para o sucesso da solução final.

Os conhecimentos do Profissional que aconselha, assim como a supervisão de um Técnico de Ótica são a garantia de que está no sítio certo para a sua escolha, porque afinal a ótica está inserida na área da saúde e não na área de retalho onde se pode adquirir um produto sem um aconselhamento especializado.

Sobre a escolha da armação uma última, mas importante consideração. Muitas são as pessoas que sem a sua correção visual têm muita dificuldade em ver-se devidamente ao espelho. Pode surpreender, mas determinadas ametropias podem limitar em muito a capacidade de visualizar com pormenor as várias soluções que são apresentadas. Hoje em dia já existem formas de ultrapassar esta situação.

O que todos queremos, clientes e profissionais, é que a solução escolhida responda não só às necessidades estritamente visuais mas também ao gosto e personalidade de cada um. Existe o profissional que o acompanha, muitas vezes também um familiar ou um amigo, mas hoje em dia todos os espaços devem permitir que a pessoa “veja” o que está a escolher.

No momento da escolha é muito importante que nos apercebamos de todas as características do produto. Se é assim com a maioria dos acessórios, como roupa ou sapatos, é ainda mais fundamental que aconteça com os óculos, onde normalmente temos menos alternativas.

Mas ao contrário da roupa e dos sapatos, e retornando ao tema deste artigo, os óculos permitem afinação. A roupa e os sapatos podem necessitar de arranjo mas raramente necessitam de ser “afinados”.

O trabalho do profissional não se estingue no momento em que concretiza a venda. Logo no momento da entrega tem que se verificar se a forma como a armação assenta no rosto é a correta e se está ajustada. O assentar no nariz, nas orelhas, se os Óculos descaem, a distância da Lente ao Olho, são tudo critérios que têm que ser verificados no momento da entrega.

Mais uma vez aqui o cuidado não é só o conforto e a estética mas também, se cumpridos estes critérios, os requisitos técnicos. Tudo tem que ser conjugado para proporcionar a qualidade de visão esperada. A entrega só termina quando verificada a qualidade final da visão.

A oportunidade de proporcionar a alguém a possibilidade de ver bem não pode ser subestimada. Trata-se de um investimento importante num artigo de saúde e também de moda, que acompanha a pessoa diariamente. O profissional responsável pela entrega tem que estar consciente da maior importância que aquele bem representa para a pessoa e valorizar toda a entrega.

Por último, o pós-venda. Os óculos graduados necessitam de manutenção. Os materiais com que são construídos têm, uns mais do que outros, um certo grau de flexibilidade para se adaptarem ao rosto. Esta flexibilidade faz com que, com o uso, a forma original se perca e necessite de ser reposta.

Depois também há incidentes do dia-a-dia que afetam os óculos. Um encosto, uma queda, o retirar os óculos apenas com uma mão, influenciam a forma dos mesmos.

Para além do desconforto, também a função visual pode ficar comprometida. Nestas situações procure quem conhece os seus óculos ou profissionais experientes e de provas dadas. A manutenção é algo que faz parte da vida útil de um par de óculos. Não hesite e procure uma solução sempre que precisar.

Os óculos graduados são um fato à medida que deve ser estimado. Vista-se, calce-se e “oculo-se” como merece!

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.