publicidade

Os festejos do 96º aniversário do Partido Comunista Português passaram por Torres Vedras onde, na sede da UDRC Sarge se reuniram cerca de oitenta pessoas para um almoço comemorativo. A força e juventude do Partido voltaram a sentir-se na forma como diversos militantes e amigos se empenharam, voluntariamente, nesta organização.

Contando com a presença de Sérgio Cipriano e Teresa Oliveira, candidatos da CDU às próximas eleições autárquicas como cabeças-de-lista aos órgãos da Câmara Municipal de Torres Vedras e Assembleia Municipal de Torres Vedras, foi Sérgio Cipriano quem usou da palavra para relembrar o quase século de história do PCP e sublinhar as mais recentes actividades no Concelho.

“O contributo dos nossos camaradas e amigos vai sendo dado por forma assegurar o funcionamento do Partido no concelho. Com a nova comissão concelhia eleita muito recentemente, estamos em melhores condições para as múltiplas tarefas em que o Partido é solicitado. Festa do Avante, Centenário da Revolução de Outubro e, sendo este um ano de eleições autárquicas, seguramente essa será uma das tarefas onde mais nos vamos envolver.” – destacou o também membro da Comissão Concelhia.

“Com limitados recursos que são disponibilizados aos nossos eleitos, a nossa intervenção é limitada. Ainda assim e sobretudo nos órgãos municipais, a nossa intervenção tem sido marcada pela defesa do bem comum, do interesse das populações em detrimento de particulares, sob a figura do suposto ‘interesse municipal’, do alerta de muitos problemas relacionados com o escasso cuidado que é dado a problemas ligados ao ambiente ou ao estacionamento, entre tantas outras situações, são a marca da nossa intervenção, destacando-se as centenas de questões ou sugestões que são feitas no Período Antes da Ordem do Dia.”

O evento contou ainda com a presença de Manuel Gouveia, do Comité Central do Partido Comunista Português, que lembrou o ano da fundação do Partido e da sua ligação aos grandes feitos saídos da Revolução de Outubro, que proporcionaram, pela primeira vez na história, um conjunto de direitos fundamentais aos trabalhadores, situações que, nossos dias, encaramos como perfeitamente naturais. Também lembrou a importância do trabalho dos muitos militantes do PCP nos anos de resistência à ditadura fascista, bem como a importância do 25 de Abril para os trabalhadores e povo português. Ainda assim, como Manuel Gouveia bem destacou, os objectivos do PCP continuam a ser um horizonte por alcançar, algo que 96 anos de vida deixam como mensagem de esperança para a resistência e luta por um país melhor.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.