Pera Rocha do Oeste em certame na China para conquistar consumidores
publicidade

A Pera Rocha do Oeste vai estar representada na maior feira para exportadores internacionais da China, a partir de hoje em Xangai, para conquistar consumidores chineses, divulgou hoje a associação do setor.

“Vamos promover a pera neste mercado e começar a fazer os primeiros contactos comerciais para adiantar trabalho para quando for autorizada” a sua abertura, afirmou Domingos dos Santos, presidente da Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha (ANP), à agência Lusa.

Com a presença na China, a ANP pretende aumentar a visibilidade internacional da Pera Rocha do Oeste e contribuir para o aumento das exportações, através do reforço da promoção externa.

“Temos de ter outros mercados alternativos para ultrapassar a crime económica do Brasil, o ‘Brexit’ na Inglaterra e o embargo da Rússia aos produtos europeus e a China é um mercado muito populoso, com poder de compra e que consome produtos importados”, justificou o dirigente.

A China importa 3,8 milhões de toneladas de fruta (em 2016), com crescimentos médios anuais de 16% e uma classe média que procura produtos genuínos e de alta qualidade.

Pela primeira vez, a ANP vai estar representada no FHC – Food & Hotel China, o maior certame chinês para exportadores internacionais, que se realiza entre terça e quinta-feira.

Na edição deste ano são esperados 120 mil visitantes profissionais nos 180 mil metros quadrados de dimensão do evento, onde estão representadas 3.500 empresas de 43 países.

Os governos de Portugal e da China têm vindo a negociar a abertura do mercado chinês à fruta portuguesa.

Esta semana, a União Europeia e a China fecharam também um acordo histórico que tem como objetivo proteger uma centena de Indicações Geográficas europeias, sendo uma delas a Pera Rocha do Oeste.

Na campanha deste ano, foram colhidas 200 mil toneladas de pera rocha e 60% dessa produção é vendida nos mercados internacionais, com Marrocos a liderar, seguindo-se o Brasil e a Inglaterra.

A ANP está a desenvolver um projeto de promoção externa, um investimento de cerca de 430 mil euros que é financiado em 85% por fundos comunitários do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, no âmbito de uma candidatura aprovada pelo Compete 2020- Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

A ANP, com sede no Cadaval, possui cinco mil produtores associados, com uma área de produção de 11 mil hectares, equivalente a 85% de toda a área de cultivo da Pera Rocha do Oeste.

A pera rocha é produzida (99%) nos concelhos entre Mafra e Leiria, sendo os de maior produção os do Cadaval e Bombarral, entre os distritos de Lisboa e Leiria.

Esta fruta possui Denominação de Origem Protegida, um reconhecimento da qualidade do fruto português por parte da União Europeia.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here