Posição do CDU e do PSD quanto ao corte do trânsito no Largo de São Pedro e ruas adjacentes
publicidade

Num comunicado de imprensa, Luís Cristóvão, eleito da CDU na Assembleia de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Matacães, apresentou a posição desta força política quanto ao encerramento do trânsito no Largo de São Pedro e ruas adjacentes:

“Para a CDU, todas as medidas que beneficiem as pessoas são positivas, e o facto de termos mais ruas onde os peões têm possibilidade de caminhar sem estarem expostos aos carros é positivo. No entanto, lembramos que a gestão da cidade deve ser feita, sempre, com a participação das populações.

No caso do Largo de São Pedro, acreditamos que poderia ter havido uma melhor comunicação das ideias da Câmara Municipal, apresentando os estudos e os argumentos utilizados para a mudança e entendendo as queixas dos comerciantes que poderão não estar satisfeitos com a mesma. Como membro da Assembleia de Freguesia, não houve nenhuma comunicação da medida nem espaço para a discutir, e considero que a Junta de Freguesia da cidade deve ser parte integrante deste tipo de decisões.

Uma cidade sustentável, ambiental, económica e socialmente, deve ter o seu centro histórico e as suas praças de referência preparadas para receber os peões, mas não deve excluir ninguém das decisões que toma. Ouvir todos os moradores e comerciantes da zona, entender quais as suas queixas e procurar ter respostas para as suas necessidades é fundamental, tal como, promover medidas que possibilitem maior circulação de pessoas nestas zonas. Fechar as ruas à circulação de carros é apenas um passo a dar no sentido de existir um programa integrado que beneficie a cidade e a população.”

O partido PSD deixou a sua posição na reunião de Câmara que teve lugar no passado dia 2 de maio:

“Atentas as críticas que muitos comerciantes, que operam no Largo de São Pedro
e nas proximidades, manifestaram, declarámos o nosso desconforto por o
presidente da Câmara ter afirmado, na reunião de câmara na qual esta alteração
foi decidida, que os comerciantes apoiavam esta medida quando tal global e
objetivamente não é verdade. Apelámos que o presidente evitasse esse tipo de
propaganda.”

O presidente da Câmara, Carlos Bernardes, esclareceu à agência Lusa que “houve diálogo com os comerciantes” e há quem “esteja a favor”, tendo aí aberto “recentemente” dois estabelecimentos.

O autarca acrescentou que, em contrapartida, o centro histórico passou a ser atravessado pelos transportes públicos da cidade, desde dia 30 de Abril.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here