publicidade

No dia 8 de junho, Dia Mundial dos Oceanos, o Oceanário de Lisboa e a Associação Oceanos sem Plásticos inauguraram o projeto artístico “aCORDA Portugal”, que procura sensibilizar todos os portugueses para o lixo encontrado nas praias de Portugal.

Esta iniciativa, que conta com o apoio da Presidência da República, reuniu cordas encontradas em praias de todos os distritos do país do Minho ao Algarve e dos Açores à Madeira, formando no final um novelo gigante que estará em exposição no Oceanário. Estiveram envolvidos no projeto mais de 200 pessoas de todo o país, construindo este novelo com cerca de 17 km de cabos (cordas) e que pesa cerca de 1,3 toneladas.

A inauguração juntou dezenas de crianças e jovens da ESCO (Escola de Serviços e Comércio do Oeste) e Colégio Oriente que fizeram um cordão humano pelo Planeta, reunindo frases importantes sobre a preservação do Planeta e marchando até ao Oceanário de Lisboa guiados pela animação do grupo torriense Rufos & Roncos que experimentou novas sonoridades com instrumentos musicais feitos a partir de lixo retirado das praias. No início e final da apresentação foi feita uma ação de limpeza na zona do Parque das Nações com as escolas envolvidas para deixar mais limpa a zona e consciencializar para a importância da preservação do nosso planeta!

Este projeto conta com o apoio da Fundação Oceano Azul, do Agrupamento 488 de Mafra do Corpo Nacional de Escutas, da Junta de Freguesia de Mafra, Junta de Freguesia de Ponte do Rol, do Sport Clube União Torreense e inúmeras participações a nível nacional de organizações como a Brigada do Mar, Quercus, Direção Regional de Ambiente e Alterações Climáticas da Madeira, Gê-Questa dos Açores, Ajude a Limpar a Praia (ALP), OnGaia, Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, Neon Joyride, Município da Praia da Vitória, Município de Leiria, entre outras.

Todos os anos cerca de oito milhões de toneladas de plásticos acabam no oceano, e neste âmbito de urgência ambiental o principal objetivo deste projeto é chamar a atenção para as problemáticas devastadoras no ambiente e de que forma cada um poderá ajudar.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here