publicidade

A candidatura submetida pelo Centro Hospitalar do Oeste (CHO) ao Sistema de Apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública (SAMA 2020), em setembro de 2015, foi aprovada no início de janeiro de 2016. Trata-se de um projeto que representa um investimento de cerca de 1.043 milhões de euros, co-financiado em 85 por cento pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e o restante pelo orçamento próprio do CHO.

O CHO pretende implementar com este novo projeto, novas ferramentas que facilitem e poupem tempo ao Utente quando este tem de interagir com o CHO. Por exemplo, para relembrar o Utente das suas marcações ou remarcações de consultas, irá existir um sistema de notificações por SMS, através do qual será enviada essa informação, mantendo o utente recordado e informado das suas deslocações às unidades de saúde do CHO (Caldas da Rainha, Peniche, Torres Vedras).

Através do Portal do Utente, será possível ao utilizador monitorizar os seus dados de saúde de forma integrada, e ter acesso fácil e rápido aos serviços disponibilizados online, nomeadamente a marcações de consultas, aos pedidos ou renovações de medicação, à consulta dos seus registos clínicos, entre outros. O Utente poderá aceder a este portal via computadores fixos e portáteis, smartphones e tablets, facilitando-se assim o acesso a um conjunto alargado de informação útil.

Com a implementação deste projeto, o CHO pretende proporcionar ao Utente uma experiência facilitadora durante a sua visita. Para tal, está prevista a criação de quiosques eletrónicos que permitem a efetivação de consultas, marcação de exames, acesso aos resultados dos exames, o pagamento das taxas moderadoras através do cartão de multibanco, etc. A agilização destas tarefas permitirá ao Utente evitar filas de espera, e conseguir uma resposta mais rápida e cómoda às suas solicitações.

Outra grande aposta será a digitalização e desmaterialização dos processos administrativos e assistenciais, que irá facilitar a partilha de informação clínica com as restantes entidades de saúde. Por exemplo, deixa de existir necessidade de os processos clínicos terem existência em papel, podendo outras unidades de saúde, com a devida autorização do Utente, passar a aceder à sua informação clínica por via eletrónica.

Ainda com vista a melhorar o acesso dos utentes aos cuidados de saúde proporcionados pelo CHO, será implementada uma plataforma de Telemedicina e de Telerradiologia. Esta solução vai permitir a prestações de cuidados de saúde a distância, com todas as condições de segurança clínica, evitando deslocações por parte do Utente.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.