publicidade

PROJETOS PARA A BIBLIOTECA MUNICIPAL E MUSEU DO BRINQUEDO DE TORRES VEDRAS EM EXPOSIÇÃO

 Os projetos que integraram o concurso público para a conceção e elaboração do projeto para a Biblioteca Municipal e Museu do Brinquedo de Torres Vedras estão agora em exposição. A mostra, patente até ao dia 1 de junho, foi inaugurada esta quarta-feira no átrio do Edifício Multisserviços da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Bruno Ferreira, vereador da Gestão Urbanística da Autarquia e presidente do júri do concurso, deu as boas-vindas a uma casa cheia, lembrando que a inauguração ocorria no mesmo dia em que se assinalava o Dia Nacional dos Centros Históricos e sublinhando que o projeto vencedor se insere na estratégia de revitalização daquela zona através da fixação destes equipamentos.

Além de Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, que inaugurou a exposição, a noite contou ainda com a presença dos vereadores torrienses, de representantes da Ordem dos Arquitetos e de vários membros do júri, cujo trabalho se pautou por momentos de “discussão, partilha e reflexão” tendo em conta a qualidade inerente aos projetos submetidos a concurso.

José Maria Cumbre e Nuno Sousa Caetano, responsáveis pela proposta vencedora, apresentaram o projeto e explicaram que foram “induzidos quase intuitivamente” para a ideia de o centrar em torno de uma praça. Um conceito que admitem estar ancorado a um registo histórico, lembrando que a ocupação daquela zona da cidade – nomeadamente a zona envolvente à Igreja de Santiago -, foi sempre desenhada “a partir do vazio”.

A proposta vencedora apresenta o corpo da Biblioteca a fazer toda a frente da Rua Dr. Aleixo Ferreira, com o equipamento a desenvolver-se em 3 pisos. Já o corpo do Museu do Brinquedo faz frente à Rua Serpa Pinto, cuja parte programática interativa tem uma forte relação com a praça.

A dupla pretende, desta forma, que o projeto seja um contributo para a restituição das dinâmicas que outrora existiam em Torres Vedras, através da promoção de um contacto “muito real” do edifício com a envolvente. A ideia foi reforçada por Carlos Bernardes, que espera que este seja um “projeto âncora para o centro histórico, para que possa ter a vivência que todos esperamos”, lembrando que se insere no Plano Estratégico de Desenvolvimento do Centro Histórico.

No âmbito do projeto, o autarca referiu que o objetivo passa por conseguir o cofinanciamento da obra, um “acelerador” para que se passe do projeto de execução ao lançamento do concurso e à obra propriamente dita. A Câmara Municipal aprovou o projeto e o seu cronograma, seguindo-se a apreciação da Assembleia Municipal, que se irá pronunciar sobre o modelo e a execução do mesmo a 3 de abril.

Em causa está um investimento de 5,8 milhões de euros, montante máximo, em que 4 milhões são direcionados para os equipamentos da Biblioteca Municipal e do Museu do Brinquedo e 1,8 milhões para as áreas de estacionamento. A elaboração do projeto assume o valor de 320 mil euros.

A mostra reúne os 75 trabalhos que apresentaram propostas para a conceção e elaboração do projeto da Biblioteca Municipal e Museu do Brinquedo de Torres Vedras, equipamentos que contabilizaram, no ano passado, 62.480 utilizadores.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here