publicidade

Apresentação Candidatos PS ao Município e Juntas de Freguesia de Torres Vedras

No dia 08 de Junho o PS de Torres Vedras apresentou os candidatos à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e às 13 Juntas de Freguesia de Torres Vedras num evento que contou com a presença dos antigos presidentes de Câmara socialistas e da secretária geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Os militantes e simpatizantes socialistas preencheram a Expotorres num ambiente de festa e apoio à liderança de Carlos Bernardes.

De facto, este encontro ficou marcado pelas palavras sentidas de todos os que subiram ao palco e daqueles que não quiseram deixar de dar o seu incentivo ao candidato, como é o caso de Alberto Avelino. Numa carta emotiva que quis deixar aos eleitores, referiu o papel ativo dos candidatos do PS e manifestou o orgulho que tem em pertencer a uma equipa tão vasta, que tem merecido o apoio da população ao longo dos anos.

José Augusto Carvalho, candidato a presidente da Assembleia Municipal, referiu que a equipa do PS é dinâmica, fraterna e coesa, caminhando lado a lado ao serviço da nossa terra e da nossa gente. Lembrou também que estas equipas candidatas têm obra feita, que nas palavras de Jacinto Leandro é sempre “uma obra inacabada” e que exige um compromisso sério e exigente de trabalho. bom senso, transparência e solidariedade.

Carlos Miguel, ex presidente de câmara e atual secretário de estado das autarquias locais, manifestou a sua confiança nas equipas do PS e na liderança do seu sucessor, Carlos Bernardes. Referiu o investimento socialista na Educação e na rede de saneamento básico, e o apoio às empresas na região, mas não apenas as novas empresas que aqui se vêm sediar, mas a todas, incluindo as que já trabalham neste território e que merecem estar na primeira linha.

Referindo-se à oposição, Carlos Miguel afirma que os adversários do PS sabem apenas fazer isso mesmo: ser oposição, não apresentando medidas concretas do que querem para o concelho. Adianta que aquelas únicas medidas que referem, de baixar o IMI e taxas municipais, são propostas comuns a todos os partidos da oposição, mas que não servem verdadeiramente os interesses da população. O secretário de estado alerta os Torrienses e incita-os a questionar a oposição: “Sem receitas, como é que se faz investimento?”. De facto, Carlos Miguel incita a população a fazer essa mesma pergunta quando os partidos de direita visitarem o Turcifal, o Ramalhal, o Maxial e todas as mais localidades que necessitam de obras. Terminou a sua intervenção, dando crédito à oposição de direita pela agregação de freguesias, sendo que aponta o dedo ao candidato do PDS, lembrando os eleitores que o mesmo fazia parte da equipa do governo de Passos Coelho que reduziu as freguesias e que nessa altura não teve em conta os melhores interesses das zonas rurais.

Carlos Bernardes subiu ao palco e chamou para o acompanhar os elementos da sua equipa à Câmara Municipal: Laura Rodrigues, Ana Umbelino, Bruno Ferreira, Hugo Lucas, Cláudia Ferreira, Jorge Dias, Vânia Bizarro, Nelson Pereira e a equipa à Assembleia Municipal, liderada por José Augusto Carvalho. Chamou ao palco também os candidatos às 13 Juntas de Freguesia de Torres Vedras e as suas equipas: Nuno Cosme; Natalina Luís; Nuno Pinto, João Tomaz, Susana Santos, Celso Carvalho, David Santos, Espírito Santo, Francisco Martins, Carlos Gomes, Luís Pedro Silva, João Carlos Caldeira e Luís Batista.

O candidato referiu com orgulho alguns dos projetos que marcaram o último mandato socialista em Torres Vedras e que foram determinantes para o desenvolvimento da Educação, Desporto, Cultura, Cidadania, Urbanismo, Sustentabilidade e Ambiente.

Referindo-se à oposição, Carlos Bernardes fez questão de dizer que Torres Vedras não se projeta a dizer mal dos nossos empresários, quando se diz que o nosso comércio está morto. Não se projeta votando contra o Plano Estratégico de Turismo, como fez o PSD de Torres Vedras, mas com trabalho!

De facto, o candidato lembrou que se hoje Torres Vedras tem o Parque do Choupal, o deve aos seus autarcas, uma vez que a oposição tudo fez para inviabilizar a sua realização, tendo o mesmo ocorrido com o Parque Verde da Várzea, quando a oposição votou contra o Plano de Pormenor a que dizia respeito.

O candidato lembrou também que o governo do PSD/CDS deixou mais de 30.000 Torrienses sem médico de família, sendo que o PS conseguiu reduzir esse número para 18.500. Muito há para fazer, refere o candidato, como garantir o hospital que Torres Vedras merece.

Foi também mencionado que o desemprego em Torres Vedras está abaixo da média nacional e que foi aprovado novo investimento multinacional na região que vai criar oportunidades de emprego para os Torrienses.

Ana Catarina Mendes, secretária geral adjunta do PS que falou para os presentes, deu uma palavra de esperança aos eleitores. Manifestou o seu apreço pelo candidato Carlos Bernardes e referiu que o que se sentiu naquele encontro foi proximidade, responsabilidade e alegria em trabalhar pela comunidade.

Como referiu Carlos Bernardes, o ADN do Partido Socialista é “trabalho, trabalho, trabalho!”

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.