Raio X novo sem funcionar há cinco meses no Centro de Saúde de Mafra
publicidade

O Centro de Saúde de Mafra, inaugurado há cinco meses, ainda não estreou o novo aparelho de raio X, alertou hoje um autarca, tendo a Administração Regional de Saúde esclarecido que as instalações radiológicas não estão ainda licenciadas.

O presidente da União de Freguesias de Igreja Nova e Cheleiros, Elísio Varandas (PS), disse à agência Lusa que “o centro de saúde abriu há cinco meses e não tem ainda o RX a funcionar, quando tem colocados há um ano três técnicos de radiologia, que estão sem trabalhar”.

O também médico nesta unidade do distrito de Lisboa justificou que, num centro de saúde que mantém aberto 24 horas o Serviço de Atendimento Permanente, o RX é necessário para “evitar que os doentes sejam reencaminhados” para a urgência de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste ou para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

No antigo centro de saúde, eram realizados 250 RX por semana, recorrendo a um equipamento já obsoleto, que acabou por avariar e por não ser reparado.

Contactada pela Lusa, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) esclareceu que o RX ainda não entrou em funcionamento porque “o processo de licenciamento das instalações radiológicas está a decorrer, por forma a ser submetido à entidade competente, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”.

O autarca da freguesia de Igreja Nova e Cheleiros alertou também que, para descontentamento desta população, a extensão de saúde respetiva foi encerrada e, cinco meses depois, o Ministério da Saúde continua a pagar a renda das instalações.

A ARSLVT diz que o processo de levantamento do equipamento obsoleto “está em curso”, mas admitiu que “é moroso”, justificando assim a manutenção da renda de 474 euros mensais.

Com o encerramento da extensão de saúde, os utentes da freguesia, na maioria idosos, com mobilidade condicionada e fracos recursos económicos, “foram seriamente prejudicados”, por terem de se deslocar mais longe para terem uma consulta ou renovarem o receituário, defendeu o autarca.

Segundo Elísio Varandas, o transporte a pedido criado pelo município, em parceria com a empresa de transportes Mafrense, “funciona mal” e “não satisfaz” as pessoas.

A Lusa contactou a linha telefónica do ‘Mobus’ e obteve a informação de que o transporte está disponível entre as 09:30 e as 16:30, podendo ser reservado na véspera por telefone ou através do ‘site’.

Na última reunião pública do executivo municipal, o presidente da câmara, Hélder Sousa Silva (PSD), disse que “é inconcebível” que, no Centro de Saúde de Mafra Leste, “a cadeira de dentista esteja parada há dois anos”, desde que foi inaugurado para servir as freguesias da Malveira/São Miguel de Alcainça, Venda do Pinheiro/Santo Estêvão das Galés e Milharado.

A ARSLVT esclareceu que “todas as consultas de Saúde Oral estão centralizadas no Centro de Saúde da Ericeira”.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here