publicidade

Câmara Municipal de Torres Vedras viu-se obrigada a condicionar o horário dos eventos de música ao vivo no Pateo da Azenha durante os dias de semana.

O comunicado chegou através do bar Radion Sation, localizado precisamente no Pateo da Azenha, em Santa Cruz, mostrando o seu descontentamento relativamente à redução do horário dos eventos musicais nesse local.

Após o pedido de licença especial de Ruído até às 24 horas para os meses de julho e Agosto, a Câmara Municipal de Torres Vedras viu-se obrigada a condicionar os eventos de música ao vivo no Pateo da Azenha, atribuindo a referida licença apenas para as sextas, sábados e domingos, obrigando a terminar os espetáculos às 23h nos restantes dias, alegando que existem muitas queixas de moradores.

O bar Radion Sation revelou o seu descontentamento por esses moradores serem maioritariamente moradores sazonais “e que em nada contribuem para o desenvolvimento social económico e turístico de Santa Cruz” e por “exercem pressão sobre a Câmara Municipal de Torres Vedras, impedindo o desenvolvimento desta pequena aldeia, e de quem nela trabalha e promove Santa Cruz 365 dias”.

Deste modo, a realização do evento “Remember Living”, realizado no Pateo da Azenha há 3 anos consecutivos, está posta em causa. A festa que tem juntado varias gerações que passaram pela mitica discoteca de Santa Cruz está ainda por licenciar.

Créditos de Imagem: FB Pateo da Azenha

publicidade

3 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável o trabalho pseudo-jornalistico aqui feito: tanto o título como o corpo da notícia foi parcial.
    Se por um lado houve reclamações para travar eventos depois das 23h, apenas DURANTE A SEMANA, por outro
    o Torres Vedras Web limitou-se a partilhar o texto de um operador, esquecendo-se de falar com os moradores!
    Quantas noites de descanso perderam os moradores levando-os a desistir de Sta Cruz pelo barulho e incómodo, e deixando a noite aos gangs e disturbios de outros tempos?

  2. Aqui o trabalho de pseudo jornalismo, pelo menos consegue mostrar as pessoas a parte verdadeira de todos os factos senhor Daniel Ferreira, pressuponho que tem uma casa de FÉRIAS em santa cruz, ou seja, só la vai durante um mês, e esse mesmo mês quer descansar? Pode sempre optar por dormir de dia na praia ou entao redireccionar-se para a Póvoa de Penafirme e deixar que as outras pessoas se divertiam pois vocês moradores sazonais de santa cruz, só conseguem estragar todo o trabalho de quem lá está o ano inteiro. É por pessoas como a vossa excelência que Santa Cruz está como está, uma verdadeira tristeza. Aconselho-o a ir à Ericeira e depois fazer a comparação do movimento entre um local e outro, seja durante o fim de semana ou durante a semana. Espero que mude de casa o mais rápido possível
    Bem haja.

  3. Este trabalho jornalistico não mostra “todos os factos”, como diz.
    A partir do momento em que se limitou a ouvir os empresários, e não ouviu os moradores, temporarios ou permanentes, o trabalho é parcial (e para não dizer “encomendado”).

    Mais, o que defende é uma clara limitação aos direitos dos moradores: o direito ao descanso. A sua frase diz tudo: “Pode sempre optar por dormir de dia na praia ou entao redireccionar-se para a Póvoa de Penafirme”. Sta Cruz é então para ser uma discoteca de verão a céu aberto, com palco na areia e tudo! (Felizmente, este ano mudou!)

    Manter a aposta de Sta Cruz no barulho, bebedeiras e festas é tornar Sta Cruz numa nova Alcântra, com todas as problemáticas conhecidas de excesso de álcool e droga. Não me parece que o futuro de Sta Cruz esteja aí! A não ser que esse seja o negócio em perigo do Anónimo…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.