Relatório de contas da Física aprovado com lucro
publicidade

O passivo passou de três milhões de euros para 2,8 milhões.

Na passada segunda feira, 12 de novembro, realizou-se a reunião da assembleia geral da Associação de Educação Física e Desportiva de Torres Vedras para discutir o relatório de atividades e contas, que obteve aprovação por unanimidade, da Associação liderada por Sérgio Galvão nos últimos três anos.

A assembleia geral foi presidida por Luís Rodrigues e de acordo com as contas apresentadas, a Física obteve um lucro de 67 mil euros no exercício do último ano (entre 1 de setembro de 2017 e 31 de agosto de 2018).

As contas da Associação deram lucro pelo segundo ano consecutivo o que, de acordo com Sérgio Galvão, se traduz numa margem financeira de 200 mil euros.

Segundo o presidente, a Física está “estruturalmente equilibrava” apesar de existir ainda o encargo da dívida, que de acordo com o mesmo, dentro de cinco ou seis anos deverá estar liquidada.

Recorde-se que a direção liderada por Sérgio Galvão sucedeu a uma comissão administrativa que geriu a Associação desde setembro de 2014, uma altura em que a coletividade torriense apresentava dívidas a várias entidades e um passivo a rondar os três milhões euros. Nessa altura, as contas apresentavam um prejuízo de 633.072 euros e agora deram 67 mil euros de lucro, assim como uma dívida fiscal de 695.897 euros que está agora totalmente liquidada e uma dívida de cerca de 250 mil euros a pessoal que neste momento já não existe.

O passivo passou de três milhões euros para 2,8 milhões.

Na reunião da assembleia geral, Sérgio Galvão fez questão de revelar outros números comparativos entre agosto de 2014 e agosto de 2018: o número de associados passou de 6.752 para 10.138; os atletas passaram de 1.515 para 2.009; as receitas próprias eram de pouco mais de um milhão de euros e são agora um milhão e 562 mil euros.

Durante os três anos de mandato da atual direção, foram realizadas algumas obras de melhoramento das instalações sendo que algumas até visaram a redução de custos, como a nova iluminação do pavilhão principal e outras contribuíram para a angariação de receitas como a construção do parque de estacionamento e o espaço educação.

A requalificação do pavilhão número dois, a melhoria da fisioterapia, novos aparelhos para a sala de exercícios, aquisição de vários equipamentos para as modalidades de ginástica, judo e natação, obras de requalificação no parque de campismo foram alguns dos investimentos cujo total ascendeu a cerca de 380 mil euros.

Na próxima segunda feira, 19 de novembro, será eleito um novo presidente para três anos de mandato. As eleições têm apenas uma lista candidata, a mesma que tem sido liderada por Sérgio Galvão.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here