publicidade

“Mobilidade inteligente. Economia forte” é o mote sob o qual o município de Torres Vedras adere, este ano, à Semana Europeia da Mobilidade. Entre 16 e 22 de Setembro, a cidade apresenta um programa onde a mobilidade sustentável está em cima da mesa. “O objectivo final é, sempre, dotar a cidade com mais qualidade” afirmou Carlos Bernardes, Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, durante a apresentação das actividades.

No âmbito desta iniciativa, Torres Vedras irá tornar 35 passadeiras acessíveis para cidadãos cegos e com baixa visão. Hugo Lucas, vereador da Mobilidade, explicou que as travessias se localizam nos eixos das ruas Santos Bernardes e Henriques Nogueira, bem como nos acessos ao terminal rodoviário. A implementação deverá terminar até ao final do ano. Já o Dia Europeu Sem Carros, que se assinala a 22 de Setembro, vai contar com o corte do trânsito na Rua António Leal d’Ascenção (entre a rotunda Joaquim Agostinho e a rotunda junto à CAERO). Uma iniciativa que poderá funcionar como teste para um futuro troço pedonal? “Eventualmente talvez possamos, num futuro muito próximo, encerrar aquela rua aos Sábados e Domingos à tarde” avançou Carlos Bernardes.

A par destas medidas de carácter permanente, o município apresenta ainda um programa onde o destaque vai para a educação, a música e o desporto. O concurso “Pensar a Minha Rua” volta a desafiar a população torriense, enquanto passeios pedestres, caminhadas e a Night Run prometem por a cidade a mexer. A Camerata Vocal apresenta ainda o espectáculo “Luzes! Camerata! Ação!” no Largo de Wellington, levando a música que marcou a sétima arte ao centro histórico.

Menos automóveis, mais transportes públicos

O programa torriense que integra a Semana Europeia da Mobilidade arranca com a apresentação do Diagnóstico do Plano de Mobilidade e Transportes (PMT), fruto da discussão de uma comissão a que pertencem, além dos representantes da autarquia, os presidentes de todas as juntas de freguesia do concelho, elementos das forças de segurança e da comunicação social e operadores de logística e de transportes públicos.

O documento dará o pontapé de saída na nova rede de transportes públicos da região oeste, que deriva do novo regime de transportes colectivos de passageiros. Como explica Carlos Bernardes, foi criada uma autoridade de transportes que está consignada à Comunidade Intermunicipal do Oeste e, numa primeira fase, será feito o levantamento de todas as linhas de transporte em funcionamento. “Até 2019 temos de lançar concurso para a concessão dos transportes públicos no território da região” explica, avançando que o que se pretende é conseguir “melhor oferta e qualidade nos transportes públicos a vários níveis.”

“A cidade hoje tem uma gestão completamente diferente” defendeu o autarca, que fala numa gestão integrada desde há dois anos, altura em que o projecto de mobilidade começou a ser implementado. “Quando colocámos grande parte da cidade tarifada a 30 cêntimos à hora, as pessoas interrogaram-se. Hoje a cidade, na nossa óptica, está melhor.” Raquel Luz, da administração da Promotorres, lembrou ainda que as receitas do estacionamento permitiram o investimento em pavimentações, pinturas horizontais e sinalética vertical durante o último ano. No entanto, Carlos Bernardes abre as portas a novos reajustamentos no que toca à localização dos parcómetros. “As coisas são dinâmicas, não são estáticas.”

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.