publicidade

Durante o passado mês de fevereiro, os serviços da Câmara Municipal de Torres Vedras levaram a cabo várias intervenções relacionadas com a praga da lagarta processionária do pinheiro, na sequência de um conjunto de solicitações e alertas recebidos.

O tipo de intervenção realizada foi ajustado ao ciclo biológico daquela praga, tendo-se procurado minimizar os riscos associados ao contacto de pessoas e animais com a lagarta processionária do pinheiro. As intervenções levadas a cabo consistiram na remoção mecânica de ninhos e/ou lagartas em procissão e também na colocação de painéis informativos em diversos espaços públicos, o que aconteceu, essencialmente, em Torres Vedras, no Paul, no Barro e na Praia Azul.

De referir também que no âmbito do seu trabalho de controlo da praga processionária do pinheiro em meio urbano, os serviços da Câmara Municipal de Torres Vedras têm implementado, desde 2015, um plano de tratamentos preventivos, através de endoterapia, em exemplares sinalizados com a presença desta praga, sendo que em 2021 foram tratados 250 pinheiros.

Refira-se também que no início deste ano foi facultada informação às juntas de freguesia do concelho de Torres Vedras sobre o ciclo da praga da lagarta processionária do pinheiro e respetivas medidas de controlo, uma vez que, ao abrigo da delegação de competências das câmaras municipais nas juntas de freguesia, a gestão de ocorrências relacionadas com esta praga se encontra agora sob responsabilidade destas últimas autarquias.

Recorde-se que a processionária do pinheiro (Thaumetopoea pityocampa) é um inseto desfolhador que parasita todas as espécies de Pinus e Cedrus, podendo provocar o enfraquecimento das árvores. Tem o nome popular de processionária – nome que vem da palavra “procissão” – dado que numa fase do seu ciclo de vida (entre janeiro e maio) as lagartas descem dos ninhos e deslocam-se em fila indiana, à procura de um local para se enterrarem. O contacto com os pelos urticantes destas lagartas poderá provocar o aparecimento de alterações no aparelho respiratório ou alergias em pessoas e animais, que se podem manifestar através de irritações na pele e olhos.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here