SNS 24: Projeto já contactou 17.339 idosos com mais de 75 anos
publicidade

Para já, o projeto Proximidade Sénior funciona nos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) Oeste Sul – que inclui as zonas do Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço, Mafra e Torres Vedras – e Porto Oriental .

O acompanhamento telefónico de idosos pelo Serviço Nacional de Saúde foi cancelado em 2016 mas a 17 de dezembro de 2018 voltou a ser uma realidade para os idosos de 75 anos, ou mais, inscritos nos agrupamentos de centros de saúde do Porto Oriental e de Oeste Sul.

Entre 17 de dezembro do ano passado e 28 de fevereiro deste ano, o projeto Proximidade Sénior do Centro de Contacto SNS 24 contactou 17.339 idosos com mais de 75 anos. Segundo o Público, destes, perto de 17% (mais de 2.800) são pessoas que se encontram numa situação relativamente à qual foram identificados “critérios de fragilidade”.

Falta de memória, limitações nos movimentos, dificuldades em resolver problemas ou viver de algum modo isolado, são algumas das situações de fragilidade encontradas.

“Após avaliação do risco de fragilidade, e obtenção do consentimento em participar, encontram-se a ser acompanhados semanalmente 2.880 utentes: 1453 no ACES Oeste Sul e 1427 no ACES Porto Oriental”, disse ao diário a coordenadora do SNS 24, Micaela Monteiro.

“Dos 17.339 idosos contactados, cerca de 16,6% apresentam critérios de fragilidade e podem ser acompanhados num programa à distância. Este número muito provavelmente pode ser extrapolado para a população idosa em Portugal”, acrescentou Micaela Monteiro.

De acordo com a responsável, a nova estratégia de apoio aos seniores passa por “entender o SNS 24 como prestador de serviços às distância – por telefone ou acesso digital – em estreita articulação com os serviços presenciais”. Desta forma, Micaela Monteiro pede a todos que mantenham os contactos telefónicos atualizados no centro de saúde.

Para já, o projeto Proximidade Sénior funciona nos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) Oeste Sul – que inclui as zonas do Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço, Mafra e Torres Vedras – e Porto Oriental – que inclui Bonfim (Porto), Paranhos e Campanhã. No entanto, o objetivo passa por alargar a outros centros de saúde.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here