publicidade

Tecatlântica com Mercedes-Benz e Smart, Tecsport com Audi, Tecarandis com Skoda e Tecauto com Volkswagen. É sob a alçada da Tecline que estes concessionários representam tantas e tão distintas marcas de automóveis na região Oeste. Com representação em Torres Vedras e nas Caldas da Rainha, o grupo conta ainda com os serviços de pós-venda da CA – Car Service Low Cost e com a Belrent, de aluguer de viaturas. Paulo Ferreira, administrador do grupo, avança que a Tecauto voltou, este ano a estar no TOP 3 no índice de satisfação de clientes. “Estamos a falar de um universo de cerca de sete mil clientes por ano que passam na nossa oficina apenas da Volkswagen e a nível de viaturas estamos a falar de cerca de 350 unidades que comercializamos por ano.” Números que deixam o responsável satisfeito, mas que não deixa de apontar: “ainda estamos a lutar para chegar ao primeiro lugar.”

Quanto à chave para o sucesso, parece não restar qualquer dúvida. “Tem muito a ver com as pessoas que fazem parte da organização. Não conseguimos contornar o mercado, mas conseguimos alterar os nossos processos e a forma de o abordar.” Parece simples. Mas como? “Através das pessoas que fazem parte da nossa organização, que todos os dias se empenham e tentam evoluir para estarem mais preparados para os desafios do mercado e para as necessidades dos nossos clientes.” A formação especializada parece fazer parte desta receita, lado a lado com a própria motivação dos colaboradores. “É virem trabalhar todos os dias, contentes e felizes, para passarem essa mensagem a quem nos procura.”

Paulo lembra como a Tecauto conta com duas fases bastante distintas nos seus 65 anos de história. Se até 1998 era “uma empresa muito familiar e regional”, havia de ser adquirida pelo actual proprietário, o Engenheiro Ferreira dos Anjos, que “desenvolveu um plano de crescimento e de modernização de toda a empresa, inserida num grupo.” Assistia-se, assim, a um grande boom empresarial, “não só regional mas também de âmbito nacional” ao nível das marcas que representa. Em pleno século XXI, este parece ser o segundo ano de “alguma recuperação económica.” Isto porque, explica, “o sector automóvel é claramente um dos que acompanha o PIB em termos económicos. E por isso não fomos excepção e conseguimos fazer uma grande melhoria da nossa actividade comercial a nível das viaturas, mas também a nível do serviço pós-venda.”

A era dos eléctricos

Se ainda há quem tente resistir, parece certo que as viaturas eléctricas vieram para ficar. “A Volkswagen é uma das marcas que tem uma oferta mais ampla a nível das viaturas eléctricas e híbridas neste momento.” Uma gama que apresenta duas viaturas híbridas plugin, o Golf e o Passat, “muito fortes já em termos de tecnologia, de manutenção e do ponto de vista de aquisição”. No segmento das 100% eléctricas encontram-se e-up e o e-Golf, viaturas que ainda não têm uma penetração comercial tão forte. “A minha expectativa é que dentro da próxima década as viaturas eléctricas atinjam 10% do nosso negócio. E por isso a Tecauto está a ser um dos concessionários da Volkswagen com uma aposta mais forte a nível nacional.” Um concessionário que tem todas as viaturas desta gama disponíveis, quer em exposição quer para test-drive. “Fica o desafio a todas as pessoas para poderem experimentar. Somos o único concessionário a fazer essa aposta a nível nacional. E vamos continuar.”

Paulo Ferreira considera tratar-se de “uma aposta não só de futuro mas também de presente”, destacando os benefícios fiscais na aquisição destas viaturas, assim como o facto de se revelarem uma aposta na defesa do ambiente. “Pensei que já iria existir mais procura. Continuo a ver algumas pessoas a ter alguma curiosidade, mas no momento da decisão optam pela solução menos arriscada, mais segura e mais conservadora.” Os dias de hoje parecem fazer parte de uma fase de transição, em que o interesse e a curiosidade em torno destes automóveis parece crescer cada vez mais. “Penso que está a haver uma transição com uma velocidade muito mais rápida do que há dez anos atrás. Por isso acredito que as pessoas vão começar a ter mais curiosidade e no momento da decisão vão realmente optar pelas novas tecnologias.”

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.