publicidade

A “Temporada Darcos” prossegue no próximo dia 5 de março com o concerto Time Stands Still, o qual se realizará pelas 21h30, no átrio do Edifício Multisserviços da Câmara Municipal de Torres Vedras.

De referir que a obra que dá nome a este concertoresulta de uma encomenda efetuada em 2019 pelo Centro Cultural de Belém para o Festival Dias da Música. A obra Time Stands Still é composta por sete canções do compositor renascentista inglês John Dowland, as quais são intercaladas com outros tantos interlúdios instrumentais da autoria de Nuno Côrte-Real, dedicados a amizades do seu universo pessoal.

Na obra Time Stands Still a sobriedade de Dowland resplandece em cada canção, contrastantes entre si, ora melancólicas ora animadas, mas sempre expressivas, baseando-se em duas danças em voga na época renascentista: a pavana (lenta) e a galharda. Os interlúdios da obra Time Stands Still revelam a pluralidade de Côrte-Real, a inspirada aproximação a universos musicais distintos, numa saborosa simbiose, informal e descomplexada. Da pureza cristalina da música de John Dowland, Nuno Côrte-Real reflexiona e reflete. Não imita, não distorce. A obra Time Stands Still oferece um olhar contemporâneo sobre o antigo. Mas não se confunda contemporaneidade com modernidade. Ambos os autores são modernos, cada um circunscrito a uma contemporaneidade do respetivo tempo histórico. São ambos musicus poeticus na sua mundividência, na sua evasão da realidade, procurando o infinito, o gesto teatral, volvendo numa espiral de tensões e distensões, numa magnificência singelamente natural, sem subterfúgios supérfluos.

Como diz Afonso Miranda, “a obra conclui com uma meditação sobre o mistério do tempo, a imobilidade da mudança, a eternidade”.

No concerto Time Stands Still que se realizará no Edifício Multisserviços da Câmara Municipal de Torres Vedras, e que será repetido no dia seguinte, pelas 17h00, no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém, será também interpretada uma obra de Maurice Ravel. Este concerto será dirigido por Nuno Côrte-Real, interpretado pelo Ensemble Darcos e contará com a participação da soprano Eduarda Melo.

O programa deste concerto será o seguinte:

M. Ravel (1875 – 1937)

Introdução e Allegro (septeto com harpa)

J. Dowland (1563 – 1626) / Nuno Côrte-Real (n. 1971)

Time Stands Still

I.Mr. Sérgio Azevedo’s Prelude

II.“Come again! sweet Love doth now invite”

III.Mr. António Pinho Vargas Pavan

IV.“Flow, my tears”

V.Mr. Artur Ribeiro’s Air

VI.“Awake, sweet love”

VII.Mr. Mats Lidstrom his Fantasia

VIII.“I saw my lady weep”

IX.Sir Christopher Bochmann his atonal transition

X.“Shall I sue”

XI.Mr. Eurico Carrapatoso’s Fugue

XII.“Weep you no more, sad fountains”

XIII.Lady Maria João’s Improvisation

XIV.“Time stands still”

XV.“I Know not what tomorrow  will bring”

(Fernando Pessoa’s last written words on the day of his death)

As entradas para se assistir ao concerto são gratuitas.

De recordar que a “Temporada Darcos” constitui-se como uma iniciativa singular no panorama musical nacional na qual se divulga a música clássica segundo as suas diversas abordagens e matizes estilísticas, sendo dirigida pelo compositor e maestro torriense Nuno Côrte-Real. Os espetáculos desta temporada são na sua maioria interpretados pelo grupo Ensemble Darcos, um dos mais prestigiados grupos de música de câmara portugueses da atualidade, o qual é dirigido também por Nuno Côrte-Real e apresenta uma formação que varia consoante o programa de concerto. De realçar que têm participado na “Temporada Darcos” aclamados solistas e orquestras nacionais e internacionais, bem como proeminentes figuras do panorama musical nacional como comentadores. Sendo coorganizada pela Câmara Municipal de Torres Vedras e pela Darcos – Associação Cultural, a “Temporada Darcos” tem como ponto de partida o concelho de Torres Vedras e mais especificamente o Teatro-Cine de Torres Vedras. Em 2022 tem a sua 15.ª edição.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here