Eram 5h30 da manhã do dia 5 Julho e estavam prontas as três carrinhas que iam levar esta “claque” de apoio Torreense, ao campeonato Nacional de BTT, vertente Maratonas. Uma claque surpresa, pois os 5 atletas da equipa que já tinham ido para lá no sábado para estarem preparados para a prova não sabiam, e ia ser uma surpresa para eles.


Começaram a chegar os ocupantes em frente ao local marcado, e considerado por algumas revistas da especialidade, a melhor pizzaria do Oeste. Neste local foi então dado o briefing do que ia acontecer, distribuido a cada apoiante um respetivo kit/saco de apoio. Com os depositos já atestados, feita distribuição pelos veículos (cedidos pela Junta de Freguesia de Carmões, Agriloja e UDO), lá foi esta “tropa” meter-se à estrada rumo ao fresquinho calor alentejano.



Viagem tranquila e sem precalços lá fomos conquistando terra, após terra, até chegarmos ao destino Reguengos de Monsaraz, para a prova do Nacional de XCM organizada pelos Piranhas do Alqueva.



Já a pisar o risco da hora, mas sempre em contato com o Diretor Desportivo Bruno Rodrigues da Academia Joaquim Agostinho, lá chegámos, estacionamos no largo de Reguengos e fomos a correr para a Partida.

Em passo apressado lá conseguimos levar os25 elementos unidos até aonde estavam as estrelas de Elites entre elas a nossas da nossa equipa, Alexandre Santos, Flávio Cunha, José Correia, Luís Filipe Abreu e Tiago Santos. Lá gritamos pelos nossos atletas que quando nos viram logo o sorriso veio, e a motivação ainda ficou maior.

A claque maioritariamente constituída por famílias, namoradas e amigos dos atletas foi incansável, e andou pelas 6 Zonas que existiam no “calorifico” percurso de 114 kms para apoio aos atletas, do Monte do Esporão, à Ponte do Alamo, ao Castelo de Monsaraz, este com uma vista deslumbrante sobre o Rio Alqueva, Santo António do Baldio e a São Pedro do Corval, sempre guiados pelos nossos Chauffeurs de serviçe Vítor Bretes, Vitor Gomes e André Martins, que foram incansáveis também no apoio à equipa e à “claque” e que os ajudaram em todos estes pontos que a claque chega-se a tempo de os apoiarem e gritassem à passagem dos nossos “Agostinhos” do BTT.


Alguns furos, muito cansaço, mas sempre ambiciosos lá os atletas sorrindo em cada ponto de passagem, quando viam os “Ultras Torreenses”.


No fim todos eles chegaram orgulhos e felizes de chegarem ao fim dos 114 quentes quilometros e terem alguém que os abraçou.
Ainda deu tempo para o almoço de confraternização entre “claque” e atletas, ainda em solo alentejano, regado por muito boa disposição.


São momentos destes que nos unem e fazem também as pessoas desta região mais fortes e diferentes, do Maxial, Ramalhal, Arneiros, Ventosa, Casalinhos de Alfaiata e Sobreiro Curvo o apoio surgiu numa terra ainda longe das nossas linhas de torres, e os atletas, de certeza que nunca mais vão esquecer. Porque na realidade nesta zona Agostinhos somos todos, lutar até ao fim.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here