publicidade

As escolas do 1º ciclo do concelho de Torres Vedras podem, desde o ano passado, ser alvo de uma acção de sensibilização e formação que visa identificar casos de daltonismo entre os mais pequenos, bem como ajudar à integração de quem é daltónico. A parceria entre a Câmara Municipal de Torres Vedras e o ColorAdd – projecto que, através de um código universal, faz com que os daltónicos consigam identificar as cores – fez com fossem identificados cinco casos de daltonismo na EB1 de Torres Vedras, na semana passada, e quatro no Centro Educativo da Ventosa, no ano passado.

“Achei que era um projecto muito interessante e que teria uma valia muito importante para as nossas crianças” destaca Laura Rodrigues, Vice-Presidente da Autarquia e vereadora da Educação. A iniciativa partiu do Instituto Óptico, que “veio falar nesta hipótese à divisão de Educação da Câmara Municipal, colocando a hipótese de fazer rastreios mas trazendo também o ColorAdd para desenvolver a sua actividade.” O objectivo é o de identificar e alertar para o daltonismo, uma realidade que não é visível aos olhos dos outros mas que afecta um em cada 10 homens, sendo que do universo de daltónicos, cerca de 90% precisam, por exemplo, de ajuda para comprar roupa.

Cabe à divisão de Educação do Executivo escolher a escola em que as actividades serão desenvolvidas, “tendo em atenção o número de crianças que existe no espaço.” Laura Rodrigues explica que “o mais fácil é sempre começar com uma escola da cidade, mas não o quisemos fazer porque achámos que uma escola de fora da cidade tem mais dificuldade em aceder a este tipo de coisas.” Assim, considera que “as crianças que frequentam esses centros educativos devem ser privilegiadas, porque normalmente têm menos acesso a este tipo de actividades.” 1700 euros é o valor que se destina a este projecto, um apoio que foi aprovado em reunião pública do Executivo “sem qualquer contestação”.

“Os professores poderão trabalhar de uma forma diferente no seu dia-a-dia e ajudar as crianças a lidar melhor com a dificuldade na identificação das cores” aponta a vereadora da Educação. Isto porque o projecto engloba uma acção de sensibilização junto dos professores das instituições. “Quanto mais ferramentas tiverem para, de uma forma precoce, detectarem qualquer situação de daltonismo, melhor” avança, falando num aspecto “extremamente importante” para quem lida todos os dias com crianças e que, desta forma, poderá transmitir informação a colegas e familiares dos mais pequenos.

Em cima da mesa está ainda um projecto inédito que visa introduzir este código universal nas praias do concelho, de modo a que os daltónicos possam identificar a cor da bandeira hasteada. A parceria entre o concelho e o ColorAdd é algo que a Câmara Municipal quer que “continue a dar frutos, por um lado porque é necessário chegar às crianças do concelho, permitindo que tenham acesso a este diagnóstico, por outro porque se pretende que a simbologia criada pelo ColorAdd seja difundida o mais rapidamente possível” avança Laura Rodrigues, sublinhando a possível implementação deste código em espaços como escolas, bibliotecas e na sinalética das ruas.

“Em termos sociais acaba por ser extraordinariamente importante. Se pensarmos nas crianças”, exemplifica, “é a diferença entre uma criança ser rotulada com dificuldades de aprendizagem, e ser uma criança que sabe identificar que tem uma limitação de identificação das cores mas que sabe como ultrapassar essa situação.”

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.