Torres Vedras com ciclo de música emergente no primeiro fim-de-semana de abril
publicidade

Descentralizado por vários locais do concelho, o ciclo começa a 05 de abril com Diogo Picão e Benjamin.

O Teatro-Cine de Torres Vedras recebe, a 05 e 06 de abril, a primeira edição do Ciclo de Música “Ciclone”, para promover músicos emergentes, com Diogo Picão, Benjamin, Daniel Neto Quinteto e Tomara, anunciou hoje a câmara municipal.

O ciclo “oferece protagonismo a artistas menos conhecidos em eventos merecedores de atenção e entusiasmo do grande público e procura dar visibilidade a músicos, bandas e demais artistas nacionais (ligados ou não à música), bem como a produtores e promotores culturais na área da música e do espetáculo”, refere a Câmara Municipal em nota de imprensa.

Descentralizado por vários locais do concelho, o ciclo começa a 05 de abril com Diogo Picão e Benjamin e prossegue, no dia seguinte, com Tomara e Daniel Neto Quinteto.

Diogo Picão, natural da Lourinhã, lançou em 2017 o seu álbum “Cidade Saloia”, onde o tema, “Sem Respostas” tem a participação do cantor Salvador Sobral.

Olmo Marín, Anders Perander e Matteo Bowinkelmann ajudam-no a conseguir a sua sonoridade mesclada de músicas tradicionais portuguesas, brasileiras e latino-americanas, polvilhadas com jazz e blues.

Benjamim é um escritor de canções, músico e produtor e lançou “Auto Rádio” em 2015 e, em 2017, gravou “1986”, com o músico britânico Barnaby Keen.

Em 2018 escreveu a canção “Zero a Zero”, que obteve o nono lugar na final do Festival RTP da Canção, interpretada por Joana Espadinha.

Enquanto produtor trabalhou com bandas e músicos como Flak, B Fachada, Joana Espadinha, Cassete Pirata, Márcia, Joana Barra Vaz, Pista, Noiserv, Frankie Chavez, Golden Slumbers, TAPE JUNk, Julie & The Carjackers, Tipo, João Só e João Pedro Pais, entre outros.

Enquanto engenheiro de som, misturou para artistas como Charlie Brown, Foreign Diabo na Cruz e Capitão Capitão.

Daniel Neto estudou jazz na Escola de Jazz Luíz Villas-Boas do Hot Clube de Portugal, entre 2001 e 2007, e frequentou o curso de jazz da Universidade de Évora em 2009.

O músico faz parte dos projetos Daniel Neto Quinteto, Daniel Neto Trio, RAN, Alexander Search, Joana Barra Vaz, José Braima Galissá, Búfalo Sentado e Jukebox, é professor de guitarra desde 2006, licenciado em Guitarra Jazz pela Universidade de Évora desde 2013, e formado em Guitarra Clássica pelo Trinity College London, desde 2017.

Lançou em 2013 o álbum de autor “Embrião” e, em 2018, o álbum de originais “Olho de Peixe”.

Tomara, pseudónimo de Filipe Monteiro, colaborou na formação dos Atomic Bees, de que fez parte a artista Rita Redshoes, que Filipe Monteiro continuou a acompanhaar.

Filipe Monteiro é licenciado em Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes e, no domínio audiovisual, trabalhou com Da Weasel, Paulo Furtado (The Legendary Tigerman), David Fonseca, Rita Redshoes, António Zambujo e Márcia, produzindo e realizando videoclipes e documentários.

Sob o nome Tomara editou em setembro de 2017 “Favourite Ghost”.

Durante o ciclo “Ciclone”, vai estar patente uma exposição de fotografia de Rafael Malvar e outra de artes plásticas do Incógnita Atelier.

publicidade

Artigo anteriorÁrvores da Rua António Leal d’Ascensão serão transplantadas para a margem do Rio Sizandro
Próximo artigoQuatro alunos de Torres Vedras receberam bolsas de estudo para o Ensino Superior
Agência Lusa
A Lusa é a maior produtora e distribuidora de notícias sobre Portugal e o mundo, em Língua Portuguesa. A Lusa acompanha a atualidade nacional e internacional a cada segundo, e distribui informação em texto, áudio, foto e vídeo. A rede Lusa de correspondentes cobre geograficamente todo o país e está presente em 29 de países do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui