publicidade

Torres Vedras esteve representado mais uma vez na Green Business Week, este ano com um espaço dedicado ao projeto municipal Ecocampus.

Este evento dedicado à economia sustentável, que se assume como o maior nacional de transferência de conhecimento, decorreu entre os dias 15 e 17 de março, no Centro de Congressos de Lisboa, organizado pela Fundação AIP em parceria com o Governo de Portugal.

“Sustentabilidade | Eficiência energética | Reabilitação Urbana | Cidades Inteligentes | Tecnologias de Informação | Alterações climáticas | Energias Renováveis | Eficiência Hídrica | Qualidade da Água e do Ar | Tratamento de Resíduos e Reciclagem | Biodiversidade | Exportação da Economia Verde | Criação de Novas Empresas e de Novos Postos de Trabalho altamente qualificados | Incorporação Tecnológica | Investigação e Inovação” foram os temas em foco na terceira edição deste certame que teve como tema central a “Cooperação” e pretendeu promover o diálogo sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

De referir que no espaço do projeto Ecocampus estiveram representadas as seguintes entidades: Biovivos, Ecovillages, IFAC, Aquaponics, Sociedade de História Natural e Bom Mel.

Recorde-se que o Ecocampus é a primeira plataforma de incubação empreendedora para a Economia Verde 4.0 em Portugal, a qual conta com a intervenção e apoio direto de reconhecidas universidades e polos de conhecimento nacionais e internacionais.

O presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras esteve presente na Conferência ”SmartCitiesLive”, realizada no primeiro dia do evento, mais concretamente no último painel da mesma, que teve como temática “Smartcities e Indústria 4.0”.

Na sua intervenção Carlos Bernardes efetuou uma breve apresentação do concelho de Torres Vedras, tendo referido a importância de se apostar na atratividade dos territórios. Ao nível da criação de soluções urbanas inteligentes, deu o exemplo do sistema de redução de perdas de água desenvolvido pelos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Torres Vedras que será a breve prazo implementado num concelho brasileiro, tendo nesse sentido enaltecido o importante papel dos municípios como laboratórios de desenvolvimento de tecnologias que podem ser transportadas para outros territórios e áreas.

Também no primeiro dia desta Green Business Week foi apresentado o Smart City Index 2016, um segundo estudo sobre inteligência urbana nacional, organizado pelo INTELI e o CEIIA, o qual abrange 36 municípios da Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes, entre os quais Torres Vedras.

Relativamente a Torres Vedras, de realçar da avaliação realizada no âmbito desse estudo: o sexto lugar na dimensão de “Governação” (e nomeadamente a performance na sub-dimensão “Políticas Públicas”); na dimensão de “Sustentabilidade”, o sétimo lugar na sub-dimensão de “Mobilidade” e o facto de na sub-dimensão de “Energia” ser referido como o quarto município cujo território apresenta maior taxa de projeção de redução de emissões de CO2; e na dimensão de “Qualidade de Vida” o quinto lugar na sub-dimensão “Educação” (sendo 3.º na média de alunos matriculados com acesso a computador com ligação à internet).

Em termos de boas práticas são referidos no Smart City Index 2016 a aplicação AlertaTvedras (no âmbito da sub-dimensão “Governação Aberta” da dimensão “Governação”), a Ecourbe de Santa Cruz (na sub-dimensão “Uso do Solo” da dimensão “Sustentabilidade”) e o Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras (na sub-dimensão “Edifícios” da dimensão “Sustentabilidade”).

A recolha de informação para a realização deste estudo foi efetuada por meio de estatísticas oficiais, contacto com organismos públicos e envio de questionários aos municípios da amostra.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here