publicidade

O Partido Socialista de Torres Vedras apresentou na passada quarta-feira, 15 de setembro, o programa eleitoral à comunicação social.

“Foi um programa construído pelas nossas gentes, que durante os últimos meses contribuíram para a construção do futuro da Nossa Terra”, revela o partido cuja cabeça de lista à Câmara Municipal de Torres Vedras é a candidata Laura Rodrigues.

“Assumimos o compromisso para a execução das propostas que apresentamos, para o mandato 2021-2025, com uma visão estratégica e integrada para todo o concelho”, é frisado.

A apresentação do programa eleitoral socialista aconteceu no Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras. Laura Rodrigues começou por expor as linhas gerais da candidatura: coesão territorial no acesso à habitação, bens e serviços públicos essenciais; fomentação de uma comunidade inclusiva e solidária; promoção da transição energética e no reforço das políticas de mobilidade sustentável; políticas de igualdade de oportunidades no acesso à educação e saúde; políticas de desenvolvimento económico baseadas na inovação e na atração de investimento.

A candidata à Câmara Municipal defendeu ainda que a cultura e o património devem ser considerados os pilares da identidade local.

Para uma “terra coesa e inclusiva”, o partido compromete-se a “impulsionar a criação de uma rede de creches, nomeadamente nas freguesias sem oferta, através do estabelecimento de parcerias com instituições de solidariedade social“; “aumentar a bolsa municipal de casas com renda apoiada, garantindo que famílias de baixos rendimentos acedem a habitação condigna”; “operacionalizar o programa estratégico de reabilitação urbana de Arenes, intervindo nas dimensões social, cultural, económica e ambiental, no qual a habitação, o espaço público, os equipamentos, a estrutura verde e a mobilidade emergem como fatores primordiais”. São alguns dos compromissos assumidos na apresentação do programa.

Para uma “terra sustentável e resiliente”, uma das propostas apresentadas passa pela “implementação de um Plano de Ação para a Energia Sustentável e o Clima que, alinhando com o Pacto Ecológico Europeu. definiu, entre outros, o objetivo da neutralidade carbónica em 2050”. “Criar ecocaminhos de Assenta/Foz do Sizandro e MAXIAL/Porto Novo” e “Criar ecocentro em cada freguesia, com serviço de compostagem e recolhas de plásticos agrícolas”, são outras duas propostas apresentadas.

Para uma “terra ativa e saudável”, um dos compromissos passa pela “construção de Unidades de Saúde de São Pedro da Cadeira; Ramalhal e Runa”, além de dar continuidade aos trabalhos de desenvolvimento no antigo Sanatório do Barro e continuar a exigir a criação do novo Hospital do Oeste “cuja localização deverá servir os interesses dos torrienses”.

Na educação, esta candidatura pretende “construir o Campus Escola do Maxial”, “instalar a Escola Superior de Saúde” e avançar com o “Bairro Académico com a criação de residências universitárias e de um espaço devidamente equipado para o estudo e trabalho coletivo de estudantes”.

“Ativar a marca Torres Vedras”; “Criar evento anual de promoção da fileira hortofrutícola”; “Criar um museu e biblioteca móvel”; “Criar o Voucher Participa” e “Iniciar a transformação do Instituto da Vinha e do Vinho no Centro de Inovação em Gastronomia e Vinhos”, foram outras propostas apresentadas na passada quarta-feira.

Pode ler o programa eleitoral completo aqui.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here