Transportadoras a aguardar luz verde das autoridades para vender novos passes na região Oeste
publicidade

Presidente da OesteCim, Pedro Folgado, garantiu que “os operadores poderão vender os novos passes” depois de sexta-feira.

As três empresas de transportes públicos, que operam na região Oeste, esclareceram hoje que ainda não estão a vender os passes com os descontos anunciados por aguardarem “luz verde” da Comunidade Intermunicipal do Oeste.

“Estamos a pedir às pessoas que aguardem” para comprar o passe, pois “ainda não temos luz verde da OesteCim para avançar”, afirmou à agência Lusa Laurinda Martins, da administração da Barraqueiro Transportes, que tem as empresas Barraqueiro Oeste e Boa Viagem a operar na região.

“Só amanhã [sexta-feira] haverá uma decisão final”, disse também à Lusa Orlando Ferreira, administrador da Rodoviária do Tejo, empresa que engloba a Rodoviária do Oeste, operadora nos concelhos do norte da região.

De acordo com aquele responsável, durante o dia de sexta-feira “no sistema ainda estarão os preços que têm estado em vigor até agora”, mas Orlando Ferreira admitiu que “no sábado e no domingo já possam ser vendidos títulos com os novos descontos”.

Nesse cenário, quer a Rodoviária do Oeste quer as empresas Barraqueiro Oeste e Boa Viagem adiantaram que haverá um reforço de pessoal nas bilheteiras.

Até lá nenhum destes operadores está a vender os passes municipais, intermunicipais, nem inter-regionais anunciados para o território da Comunidade Intermunicipal do Oeste a partir de abril.

Questionado pela Lusa, o presidente da OesteCim, Pedro Folgado, garantiu que “os operadores poderão vender os novos passes” depois de sexta-feira, dia que em que o conselho intermunicipal vai ter uma reunião extraordinária para tomar decisões e vai chamar os operadores de transportes para assinar o contrato.

Vários utentes dos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML), como Vila Franca de Xira ou Mafra, que viajam para Lisboa em carreiras inter-regionais, que iniciam o seu trajeto em concelhos fora da AML, como Alenquer, Sobral de Monte Agraço ou Torres Vedras, queixaram-se também que não estão a beneficiar do passe de 40 euros anunciado para a AML.

Questionados pela Lusa, a Barraqueiro Oeste e a Boa Viagem esclareceram que não estão englobadas no Regulamento Metropolitano das Regras Gerais para a Implementação do Sistema Tarifário na AML, publicado hoje em Diário da República, por não existir ainda acordo entre a AML e a OesteCim.

“No caso de serviços inter-regionais (…), não podem os utilizadores que iniciem ou terminem a viagem fora da AML utilizar os passes Metropolitanos e Municipais, carecendo estas viagens de solução tarifária resultante de acordo a celebrar entre a AML e as CIM confinantes”, refere o regulamento, a que a Lusa teve acesso.

Pedro Folgado disse que a OesteCim “ainda não chegou a acordo” com a AML e admitiu que existe um problema orçamental para os passes entre Lisboa e concelhos deste distrito, mas fora da AML.

A Comunidade Intermunicipal do Oeste (OesteCim) vai alocar 1,4 milhões de euros para Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos, beneficiando com descontos, a partir de abril, cerca de 5.000 portadores de passes rodoviários.

Na região, o passe municipal (dentro do perímetro de cada concelho) deixa de ser superior a 30 euros e vai permitir aos utilizadores poupanças anuais de cerca de 230 euros.

Nas deslocações intermunicipais (dentro do território da OesteCim), o passe vai ter um custo de até 40 euros, estimando-se, neste caso, poupanças de cerca de 400 euros por ano”.

Já nas ligações inter-regionais com os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML), da Lezíria do Tejo e à Região de Leiria, “será garantido um desconto de 30%”, prevendo-se poupanças, em média, acima de 450 euros por ano.

A região Oeste é composta pelos concelhos de Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Nazaré, Óbidos, Peniche, do distrito de Leiria, e por Alenquer, Arruda dos Vinhos, Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras, do distrito de Lisboa.

publicidade

2 COMENTÁRIOS

  1. Torres Vedras Web, já podem atualizar:

    https://jornaldemafra.pt/2019/03/29/mafra-navegante-pode-ser-utilizado-na-carreiras-inter-regionais-da-barraqueiro-oeste-mafrense-e-boa-viagem/
    https://www.jn.pt/economia/interior/area-metropolitana-de-lisboa-e-oestecim-chegam-a-acordo-para-passes-10741502.html
    https://www.dn.pt/lusa/interior/be-propoe-dois-passes-de-40-euros-para-carreiras-inter-regionais-oestelisboa-10739211.html

    É um acordo que ainda favorece mais quem é de Mafra, que se vai poder passear não só por Lisboa, como também pelo Oeste inclusive praia da Santa Cruz – tudo a 40 euros. Torrienses que usam a directa para Lisboa ficam de mãos a abanar; só usando a carreira via Venda do Pinheiro é que a ligação a Lisboa não é paga (mas é mais uma hora de viagem). Um absurdo!

    A Barraqueiro Oeste quer continuar a explorar os que pagam a directa.

    • Isto se bem percebi os termos do acordo. Porque isto tecnicamente é só dentro da AML, mas uma pessoa que venha de Mafra pode sempre ficar no autocarro e não sair onde é suposto (à boa maneira portuguesa). Isto está bom é para os chicos-espertos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here