publicidade

O italiano Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) resistiu aos ataques da concorrência e conquistou ontem, no alto da Carvoeira, a 39.ª edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho. O galego Gustavo César Veloso (W52-FCPorto) venceu a última etapa, 147 quilómetros desde Atouguia da Baleia até o Parque Eólico da Carvoeira, onde a meta coincidiu com uma contagem de montanha de terceira categoria.

Os últimos 50 quilómetros da etapa, que englobavam quatro contagens de montanha, desmantelaram o pelotão. Rinaldo Nocentini ficou sem colegas de equipa na fase mais dura, num pelotão onde todos os rivais tinham, pelo menos, um companheiro. Nesta fase, a W52-FC Porto apostou forte, lançando Gustavo César Veloso para a dianteira, em busca dos sete fugitivos que, pedalavam na frente desde o quilómetro 27.

O galego da equipa portista conseguiu chegar à frente da corrida nas rampas da Carvoeira, com margem suficiente para cortar a meta isolado e celebrar a vitória na tirada. Seguiu-se, a 5 segundos, o francês Guillaume Almeida (Rádio Popular-Boavista), um dos sete homens que fez parte da fuga do dia. O terceiro foi o melhor jovem da prova, o colombiano Aldemar Reyes (Manzana Postobon), a 7 segundos.

“Toda a equipa fez uma grande corrida, desde o primeiro dia. Foi um bom ensaio para a Volta a Portugal, porque esta é a corrida em que todos queremos avaliar o estado de forma, já que nos treinos as coisas são diferentes”, disse o vencedor da etapa.

Rinaldo Nocentini, numa demonstração de classe e sangue frio, controlou os adversários, sendo o sétimo classificado tirada, um resultado suficiente para ganhar a corrida. O torriense Hernãni Broco (LA Alumínios-Antarte) foi o segundo classificado, a 24 segundos, e o espanhol Raul Alarcón (W52-FC Porto) fechou o pódio, a 26 segundos.

“Foi uma etapa muito difícil. Tive uma grande equipa, que trabalhou muito e bem. A dada altura fiquei sozinho, mas já perto da subida final dois colegas juntaram-se à frente e puderam ajudar. Esta vitória é muito importante para mim, por que é a primeira em seis anos, e é muito importante para a equipa, por ser a primeira da época. Tem sabor especial vencer a prova que lembra Joaquim Agostinho, que era um símbolo do Sporting”, afirmou Nocentini.

O maior poderio coletivo da W52-FC Porto permitiu aos portistas a vitória na classificação por equipas e a Raul Alarcón ganhar a classificação por pontos. Yoann Barbas (Armée de Terre) aproveitou a fuga de ontem para subir ao pódio como rei dos trepadores e como vencedor do combinado, o mesmo tendo feito Bruno Sancho (Anicolor) relativamente às metas volantes.

 

Classificações

3.ª Etapa: Atouguia da Baleia – Parque Eólico da Carvoeira, 146 km

1.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), 3h48m41s (Média: 38,569 km/h)

2.º Guillaume Almeida (Rádio Popular-Boavista), a 5s

3.º Aldemar Reyes (Manzana Postobon), a 7s

4.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), mt

5.º Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte), mt

6.º João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), a 9s

7.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), mt

8.º Thomas Lebas (Bridgestone Anchor), a 11s

9.º Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte), mt

10.º Henrique Casimiro (Efapel), a 14s

Geral Individual

1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 13h00m18s

2.º Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte), a 24s

3.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), a 26s

4.º João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), mt

5.º Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte), a 54s

6.º Mikel Bizkarra (Euskadi Basque Country-Murias), a 59s

7.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), mt

8.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1m01s

9.º José de Segóvia (Louletano-Hospital de Loulé), a 1m02s

10.º Aldemar Reyes (Manzana Postobon), a 1m54s

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.