publicidade

Devido à falta de médicos, a urgência pediátrica de Torres Vedras está encerrada entre as 21:00 e as 09:00 nas duas primeiras semanas do ano, informou o Centro Hospitalar do Oeste num aviso afixado à porta da urgência.

“Em face da falta de recursos humanos médicos da especialidade de Pediatria na unidade de Torres Vedras, a urgência da pediatria desta unidade encontra-se encerrada durante o período noturno”, informa o Centro Hospitalar do Oeste (CHO).

A medida entrou em vigor ontem, primeiro dia do ano, e vai manter-se até 15 de janeiro, altura em que o centro hospitalar promete fazer “uma reavaliação da situação”.

Este encerramento deverá ser “temporário” e que as crianças e jovens que necessitem de recorrer ao serviço neste período vão ser “avaliadas clinicamente nas instalações da urgência pediátrica por um médico de clínica geral”, que “poderá solicitar a observação por pediatras da unidade de Caldas da Rainha”.

Entretanto Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras já tomou uma posição através de ofício enviado ao Ministro da Saúde, e que aqui transcrevemos:

“Face às informações que dão conta do encerramento da urgência de Pediatria do Centro Hospitalar do Oeste – Unidade de Torres Vedras, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, exige uma solução e a reposição, em 48 horas, da normalidade do funcionamento deste serviço.

Em ofício enviado ao ministro da Saúde, Adalberto Campos, e ao secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, com conhecimento do Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras manifestou o seu total desagrado pelo encerramento da urgência de Pediatria do Centro Hospitalar do Oeste – Unidade de Torres Vedras, entre as 21h00 e as 09h00 nas duas primeiras semanas do ano, devido à falta de médicos.
Além do mais, Carlos Bernardes lamentou o facto de ter tido conhecimento desta situação pela comunicação social quando, no mês passado, e sobre esta matéria, foi a Câmara Municipal de Torres Vedras informada que o referido serviço não iria encerrar.

“Face a tal desrespeito perante uma comunidade vulnerável, como são as crianças e jovens”, o presidente da autarquia torriense solicita que esta situação seja resolvida no prazo máximo de 48 horas a “bem da saúde da comunidade servida por esta unidade de saúde”.

O Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras mostrou-se ainda totalmente disponível para dialogar e encontrar soluções para este grave problema.”

Recordamos que o Torres Vedras Web dava conta desta possibilidade no início do mês de Dezembro, tendo sido desmentido pela Direção do Centro Hospitalar.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.