publicidade

O processo de adaptação de uma imigrante à terra de acolhimento e a certeza de todos terem o seu lugar inspiraram “4242”, primeira curta-metragem de Sara Eustáquio, 16 anos, recém-distinguida em Israel e nos Estados Unidos.

Aceite na New York Film Academy, que vai frequentar durante os próximos meses, com a segunda ‘curta’ em pré-produção, a estudante de Torres Vedras pertence à chamada “geração do telemóvel”, sempre pronto a captar imagens, e disse à agência Lusa que costuma “passar a vida” com a câmara de vídeo atrás, regressando muitas vezes a locais já fotografados, para os filmar.

Há dois anos, um vídeo que fez para um trabalho escolar despertou-lhe o gosto não só pelo registo de imagens, mas também pela sua edição e, em abril deste ano, concluiu a sua primeira curta-metragem, “4242”, recém-distinguida no festival BestShorts, de Los Angeles, Estados Unidos, e no Festival Internacional de Cinema Near Nazareth, em Israel.

“Fiquei contente, mas, ao mesmo tempo, surpreendida”, disse a ‘pequena realizadora’ à agência Lusa.

A ‘curta’, que também já foi selecionada para o Josiah Media Festival, que se realiza em outubro, no Texas, inspira-se na experiência da protagonista, a aluna romena Cristina Caldararu, de 18 anos, da mesma escola de Eustáquio, a Secundária Henriques Nogueira, em Torres Vedras.

Residente em Portugal desde 2015, longe da família, para terminar o ensino secundário, com a expectativa de assim poder entrar mais facilmente numa universidade, Cristina Caldararu teve de aprender português em tempo recorde, adaptar-se ao país, criar novos laços.

Colega de turma da Sara Eustáquio, Caldararu escreveu sobre a sua experiência, para um trabalho escolar, e esse texto depressa se tornou no ponto de partida da curta-metragem.

O ‘trailer’ do filme, disponível no You Tube, resume o drama em três frases/princípios, enquanto cruza planos que ora se fixam na ‘atriz-imigrante’, ora na paisagem ou nos habitantes da localidade de acolhimento: há lugar para todos, sem exceção; todos precisam de encontrar o seu lugar, e esse processo é difícil, ainda mais quando se está sozinho.

Com direção e montagem de Sara Eustáquio, produção de seu pai, Vítor Eustáquio, que também assina a música original, “4242” tem argumento da realizadora, assinado em parceria com Cristina Caldararu e com a escritora de origem holandesa Mae Margriet, segundo a ficha técnica publicada na base de dados de cinema, na Internet (IMDb).

A rodagem efetuou-se em Lisboa, Óbidos, Peniche e Torres Vedras.

O filme venceu o prémio Júnior Revelação (prémio especial do júri para novos valores), em Israel, e uma menção honrosa, na competição de curtas-metragens, no Best Shorts, em Los Angeles.

Segundo a base de dados de cinema, na Internet (IMDb), Sara Eustáquio também foi nomeada para o prémio de Melhor Estudante, no Los Angeles Cinefest, festival norte-americano ‘online’, em que os filmes em competição são selecionados por especialistas da indústria cinematográfica norte-americana.

O ‘blog’ irlandês The WorthJourney considerou “4242” “uma curta-metragem notável” e o Bucharest ShortCut CineFest, ‘montra’ mensal romena da mais nova produção, na Internet, destacou “a maturidade e a subtileza” da autora.

Sara Eustáquio disse à agência Lusa que está a preparar a segunda curta-metragem, com o objetivo de enriquecer o portefólio, um requisito para se candidatar a um curso de cinema, numa universidade norte-americana, quando terminar o ensino secundário, em Portugal.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.