publicidade

O Município de Torres Vedras associou-se este ano às Jornadas Europeias de Arqueologia, proporcionando visitas às escavações arqueológicas que estão a decorrer no Tholos do Barro, o que aconteceu na tarde deste domingo, dia 20 de junho.

Três dezenas de pessoas participaram nessas visitas, as quais tiveram lugar 112 anos após a descoberta daquele sítio e a realização dos primeiros trabalhos arqueológicos no mesmo.

De referir que a campanha que está a decorrer este ano no Tholos do Barro pretende promover a realização de novos estudos acerca deste monumento, bem como a sua salvaguarda, e melhorar as condições de visita ao local, o qual está classificado como Monumento Nacional desde 1910. 

Recorde-se que o Tholos do Barro é um sepulcro coletivo, do III.º milénio a. C., descoberto no início de 1909 pelo eminente arqueólogo francês Paul Bovier-Lapierre. As primeiras escavações arqueológicas realizadas nesse local tiveram lugar logo em 1909, sob o patrocínio do Museu Etnológico Português e a direção de Félix Alves Pereira, e com a colaboração de Paul Bovier-Lapierre e Eugénio Jalhay, então residentes no Colégio do Barro. Os trabalhos na altura realizados identificaram um sepulcro coletivo, do tipo tholos, formado por uma câmara circular, com cerca de 6 m de diâmetro e teto em falsa cúpula, cujo acesso era feito por um corredor, com uma extensão aproximada de 4 m, na altura ainda fechado pela laje original. A entrada do corredor, orientada a sul, sobressaía de um tumulus de terra que cobria originalmente o tholos, com cerca de 13 m de diâmetro. De realçar que o Tholos do Barro é o maior e mais bem conservado sepulcro de falsa cúpula do país.

Relativamente às Jornadas Europeias de Arqueologia, refira-se que é um evento organizado por 47 países europeus, entre os quais Portugal, sob a coordenação do Institut National de Recherches Archéologiques Préventives (INRAP). A coordenação nacional destas jornadas cabe à Direção Geral do Património Cultural. As Jornadas Europeias de Arqueologia decorrem anualmente, no terceiro fim de semana de junho, em todos os países membros do Conselho da Europa. A iniciativa destina-se a incentivar os poderes públicos e os intervenientes nas diversas áreas ligadas à arqueologia a valorizarem o património arqueológico. Tem por base uma plataforma digital que pretende chamar a atenção do público para a multiplicidade e a diversidade dos patrimónios e das iniciativas relacionados com a arqueologia na Europa.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here